Mensagem dos Autores

Motivados pelo desenvolvimento da Odontologia Legal no Brasil, os autores tiveram a iniciativa de agregar mais uma ferramenta de convergência da classe pericial odontológica com o intuito de divulgar notícias, eventos, trabalhos científicos, além de contribuir para a discussão e troca de experiências entre os praticantes da perícia odontolegal. Contamos com todos para tornarmos este Blog um centro de encontro e de crescimento profissional.







sábado, 31 de março de 2012

Fratura dos instrumentos endodônticos: recomendações clínicas

Resumo

Instrumentos endodônticos são ferramentas metálicas, fabricados de ligas de aço inoxidável ou de niquel-titânio (NiTi) empregados como agentes mecânicos na instrumentação de canais radiculares. Durante a instrumentação do canal radicular, o ins­trumento sofre tensões que variam com a anatomia do canal. Tensões, desconhecimento das proprieda­des mecânicas dos materiais e pouca habilidade e experiência clínica do profissional podem induzir sua ruptura no interior do canal. A fratura durante o uso clínico pode ocorrer por carregamento de torção, fle­xão rotativa e por suas combinações. Instrumentos fraturados e retidos no interior do canal podem afetar o resultado do tratamento endodôntico. O propósito deste trabalho é apresentar recomendações clíni­cas para reduzir o risco de fraturas de instrumentos endodônticos durante a instrumentação de canais radiculares.

Recomendações Clínicas

Algumas recomendações clínicas devem ser analisadas para minimizar a fratura por flexão rotativa de instrumentos endo­dônticos, durante o uso clínico:

• permanecer o menor tempo possível com o instrumento girando no interior de um canal radicular curvo...;
• manter o instrumento no interior de um canal curvo em constante avanço e retrocesso em sentido apical...;
• não flambar o instrumento no interior de um canal radi­cular. Flambagem é a deformação elástica apresentada pelo instrumento endodôntico quando submetido a um carrega­mento compressivo na direção de seu eixo (axial)...;
• quanto menor o raio de curvatura do canal radicular, quanto maior o comprimento do arco, e quanto mais próxi­mo do segmento cervical estiver o arco de um canal curvo, menor será o número de ciclos suportado pelo instrumento até a falha...;
• os instrumentos endodônticos devem ser empregados com a menor velocidade de rotação possível...;
• durante o movimento de retrocesso não pressionar lateral­mente (pincelamento) o instrumento contra as paredes de segmentos achatados de canais radiculares...;
• acionar os instrumentos endodônticos de NiTi por meio do movimento oscilatório ou alternado...;
• outra maneira de se reduzir à fratura por flexão rotativa é por meio do descarte preventivo do instrumento antes dele alcançar o limite de vida em fadiga. Todavia, este procedi­mento eleva o custo do tratamento endodôntico, podendo ser considerado como desvantagem. Artigo publicado em: Rev. bras. odontol., Rio de Janeiro, v. 68, n. 2, p. 152-6, jul./dez. 2011.


0 comentários:

Postar um comentário

Compartilhe