Mensagem dos Autores

Motivados pelo desenvolvimento da Odontologia Legal no Brasil, os autores tiveram a iniciativa de agregar mais uma ferramenta de convergência da classe pericial odontológica com o intuito de divulgar notícias, eventos, trabalhos científicos, além de contribuir para a discussão e troca de experiências entre os praticantes da perícia odontolegal. Contamos com todos para tornarmos este Blog um centro de encontro e de crescimento profissional.







sábado, 25 de fevereiro de 2012

Human identification analysis using PCR from the root portion of dental elements under different conditions of temperature and exposure time

Abstract
Introduction and objective: The main exogenous factors limiting the retrieval of information from human remains are fire and accidents involving high temperatures. Teeth, due to their relatively high degree of chemical and physical resistance, offer the possibility for the recovery of genetic material, becoming important in forensic cases. With the aim to contribute to a standardization of the protocols employed in DNA extraction and analysis, it was evaluated the integrity of DNA recovered from dental roots submitted to high temperatures, simulating what happens to burnt people. Material and methods: Extractions of genomic DNA were made from the dental root after exposure to high temperatures (600ºC, 800ºC and 1000ºC), during 10, 30 and 60 minutes. Results and conclusion: After molecular analysis through PCR technique, it was verified that DNA amplification of the samples was not possible at any of the periods and temperatures analyzed. Article published in: RSBO. 2012 Jan-Mar;9(1):67-73.


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Curso de Capacitação em Auditoria Odontológica - ABO-SC

Outras informações aqui.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Polícia do PR investiga morte de rapaz em consultório odontológico

A Polícia Civil de Cascavel, no oeste do Paraná, investiga a morte de um rapaz de 23 anos em um consultório odontológico, na tarde de terça-feira (7 de fevereiro de 2012). "A única informação que nós temos até agora é que ele foi submetido a um tratamento dentário e morreu no local. Nós não ficamos sabendo do ocorrido de imediato porque a clínica acionou um serviço funerário  ao invés de chamar o Instituto Médico Legal (IML), que é procedimento obrigatório em uma situação dessas", explicou o delegado Luis Rogério Ramos Sodré.
"Assim que soubemos do caso, nós acionamos o IML para buscar o corpo na funerária. Já foi feita a necrópsia e eu aguardo o laudo para dar prosseguimento nas investigações. De qualquer forma, já foi instaurado o inquérito de homicídio culposo, quando não há intenção de matar", acrescentou o delegado.

Sodré disse ainda que desde a manhã desta quarta-feira (8), está ouvindo os familiares para saber questões de comportamento e saúde da vítima, como sobre os medicamentos que ela costumava tomar, por exemplo. O dentista que atendeu o rapaz deve prestar esclarecimento na quinta-feira (9).

A clínica odontológica, localizada no centro da cidade, afirmou que vai aguardar as investigações e que por enquanto não vai comentar sobre o ocorrido. Todas as consultas marcadas para esta quarta foram canceladas.

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Dentista de Rio Verde (GO) é filmado vendendo atestados falsos

O dentista Hikoiti Yokoyama foi preso em Rio Verde, no sudoeste de Goiás, no final da tarde de segunda-feira (9 de janeiro de 2012), suspeito de vender atestados médicos falsificados para funcionários de empresas da região. Antes de prendê-lo, a polícia filmou sua ação. Veja o vídeo aqui.
Só para trabalhadores de uma única empresa ele teria vendido mil atestados falsos. Para não levantar suspeitas, o dentista atendia os falsos clientes em bares e lanchonetes localizados na região de seu consultório.
“O perito criminal comprovou que aquela pessoa que tinha acabado de adquirir o atestado falso não tinha nenhum problema que precisasse de tratamento odontológico. Portanto, ele foi até o odontólogo apenas para ter a posse de um atestado falso e justificar sua ausência no trabalho”, afirma o delegado Danilo Fabiano.
Ação
De acordo com a Polícia Civil, Hikoiti Yokoyama cobrava R$ 10 por cada dia que o funcionário era liberado do trabalho. O delegado Danilo Fabiano acredita que o número de atestados falsos repassados tenha sido bem maior, visto que outras duas empresas da cidade procuraram a polícia com a informação de que também teriam recebido atestados assinados pelo dentista. A polícia vai investigar também os trabalhadores suspeitos de terem comprado os atestados.
Na delegacia, Hikoiti Yokoyama as acusações. “Essas acusações não têm fundamento. Porque eles [pacientes] passam lá, fazem orçamento ou tiram a dor de dente e aí levam o atestado”, se defende o dentista.
O profissional pode ser liberado se pagar fiança de 15 salários mínimos. E ele será indiciado por falsidade ideológica e pode pegar até três anos de prisão. A pena é a mesma para trabalhadores que tiverem comprado os atestados falsos.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Responsabilidade legal sobre modelos de prótese parcial removível

Objetivo: Verificar junto aos laboratórios que realizam próteses parciais removíveis na cidade de Piracicaba, São Paulo, como eles recebem os modelos enviados pelos cirurgiões-dentistas para confecção dessas próteses. Métodos: A legislação pertinente sobre a responsabilidade civil de todos os envolvidos na confecção e utilização deste tipo de prótese foi igualmente verificada. Para tanto, foi utilizado um questionário com questões estruturadas e abertas, abordando todos os aspectos inerentes ao estudo; submetido e preenchido pelo Técnico em Prótese Dentária responsável pelos laboratórios. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva. Resultados: Verificou-se que o Técnico em Prótese Dentária (100%) é o responsável por todos os laboratórios pesquisados e estes (100%) sabem que cabe ao cirurgião-dentista o planejamento das próteses parciais removíveis. Os respectivos modelos de próteses parciais removíveis representavam uma cavidade bucal praticamente sem preparo prévio à moldagem e estes são enviados sem os respectivos planejamentos. Conclusão: Concluiu-se que todos os profissionais envolvidos com este tipo de trabalho possuem conhecimentos parciais com relação às diversas fases necessárias para obtenção de sucesso neste tipo de tratamento e conhecimentos precários sobre a legislação que norteia suas funções. A responsabilidade civil do cirurgião-dentista, no tocante à área de Próteses Parciais Removíveis, independente da sua classificação (classe I, II, III e IV de Kennedy), é considerada como responsabilidade de meio. No entanto, deve-se destacar que a propaganda e a publicidade podem alterar tal consideração caso o cirurgião-dentista venha a prometer previsibilidade estética, conforme estabelecido no Código de Proteção e Defesa do Consumidor. Artigo publicado em: RGO - Rev Gaúcha Odontol., Porto Alegre, v.59, n.4, p. 603-608, out./dez., 2011.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Avaliação de marcas de mordidas em alimentos produzidas por próteses dentárias

RESUMO
O estudo de marcas de mordidas em alimentos é uma importante vertente da Odontologia Legal, pois através do seu emprego é possível identificar ou excluir suspeitos de atos criminosos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a viabilidade de identificação através de marcas de mordidas em alimentos, realizadas por próteses dentárias. A amostra foi composta por 10 (dez) pares de próteses, confeccionadas em um laboratório e montadas em um articulador tipo charneira. Após numeração das mesmas e dos alimentos, foi realizado um sorteio. Em seguida, procedeu-se a realização das mordidas nos alimentos (quatro chocolates, quatro queijos e duas bananas), sem o conhecimento dos pesquisadores. Modelos de gesso das próteses e dos alimentos mordidos foram confeccionados, utilizando alginato e gesso pedra. Em seguida, empregou-se a técnica da análise métrica. Nesta etapa realizou-se a mensuração do diâmetro mésio-distal de cada dente nos modelos dos alimentos e das próteses, utilizando um paquímetro digital. Posteriormente, foi feita comparação direta do alimento mordido com os modelos das próteses. Dos dez alimentos mordidos foi possível identificar com precisão a prótese responsável pela impressão dentária em 7 deles. Entretanto, no queijo 01 e 02 e no chocolate 03 não foi possível identificar o autor, mas excluir 8, 5 e 8 suspeitos, respectivamente. De acordo com os resultados obtidos pode-se comprovar que é possível a identificação de marcas de mordidas produzidas por próteses, contribuindo assim com as perícias realizadas na área de Odontologia Legal. Artigo publicado em: Arquivos em Odontologia. Janeiro/Março 2010; 46(1): 38-42.

Compartilhe