Mensagem dos Autores

Motivados pelo desenvolvimento da Odontologia Legal no Brasil, os autores tiveram a iniciativa de agregar mais uma ferramenta de convergência da classe pericial odontológica com o intuito de divulgar notícias, eventos, trabalhos científicos, além de contribuir para a discussão e troca de experiências entre os praticantes da perícia odontolegal. Contamos com todos para tornarmos este Blog um centro de encontro e de crescimento profissional.







domingo, 28 de agosto de 2011

Perícia Odontolegal


A Odontologia Legal tem como finalidade precípua a aplicação dos conhecimentos da ciência odontológica a serviço da Justiça. É o perito a pessoa judicialmente habilitada para uma avaliação, exame ou vistoria de determinada área. Segundo Afrânio Peixoto, as qualidades essenciais dos peritos são: honestidade, técnica e imparcialidade. O perito odontolegista em seu dia a dia desenvolve tanto atividades clínicas quanto necroscópicas.
 
Dia a dia do perito

O perito odontolegista em um Instituto Médico Legal pode desempenhar perícias necroscópicas, como as perícias de identificação, antropológicas, de superposição de imagens, reconstrução facial e os casos de marcas de mordida, e as perícias em indivíduos vivos, por exemplo, nos casos de lesões corporais em vítimas de agressões, acidentes e em decorrência de erros profissionais. Para Andreia Breda, é possível ainda a realização de perícias de estimativa da idade em indivíduos com idade desconhecida e de marcas de mordida, onde quer que se encontrem. “Cabe destacar a possibilidade de exames em materiais ou as perícias de manchas. Ao contrário do que muitos pensam, o perito odontolegista cotidianamente desenvolve mais atividades clínicas que necroscópicas”, esclarece.

Reportagem publicada em: Rev. bras. odontol., Rio de Janeiro, v. 68, n. 1, p. 72-5, jan./jun. 2011.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Métodos de identificação em Próteses Dentárias: uma revisão de literatura


Resumo
Sabe-se que a identificação de cadáveres por meio da arcada dentária é de extrema importância nas investigações. Entretanto, quando há ausências dentárias se torna mais complicado. Assim sendo, o presente artigo visa, através de uma revisão de literatura, expor diferentes materiais existentes para identificação de próteses removíveis e as técnicas para implantação desses materiais nas próteses, discutindo vantagens e desvantagens. Contudo, chegou-se a conclusão que, dependendo da prioridade do paciente e do dentista, pode-se escolher certo material, desde ele atenda as expectativas de resistência necessárias para caso de identificação através da prótese dentária (Artigo publicado em: Rev. bras. odontol., Rio de Janeiro, v. 68, n. 1, p. 54-8, jan./jun. 2011).

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Termo de consentimento informado em Implantodontia

Resumo
O desenvolvimento científico e tecnológico da Odontologia nos últimos tempos, e em particular da Implantodontia, tem impulsionado o tratamento reabilitador bucal. Ao lado destes avanços, o conhecimento globalizado e informatizado dos cidadãos tem aumentado significativamente o grau de expectativa e de exigência com relação ao sucesso do tratamento, levando em certas ocasiões a situações de constrangimento e até ao questionamento judicial. O presente trabalho mostra diversas situações encontradas diariamente no tratamento reabilitador com implantes, colocando o termo de consentimento informado como um dos fatores fundamentais para o desenvolvimento do trabalho a ser realizado, colaborando desta forma para o bom relacionamento paciente-profissional.

Conclusão
O cirurgião-dentista é visto pelo Código de Defesa do Consumidor como prestador de serviço e, como tal, deve seguir os preceitos da respectiva legislação, a partir de um protocolo de trabalho definido, esclarecendo os riscos, os benefícios e as alternativas do tratamento a ser proposto, por meio de documentação específica, principalmente quando se trata de uma especialidade como a Implantodontia.

O termo de consentimento informado deve conter todas as particularidades inerentes a cada caso clínico e pode se tornar um valioso instrumento de defesa no caso de uma situação constrangedora, ou até mesmo em um questionamento judicial, aliado ao fato de que pode ser uma demonstração inicial de que o profissional está preocupado com o resultado final do tratamento, o que é, a nosso ver, o primeiro passo para o sucesso do trabalho realizado (Artigo publicado em: Rev. bras. odontol., Rio de Janeiro, v. 68, n. 1, p. 16-9, jan./jun. 2011).

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

2 anos e 50 mil acessos

Parabéns a toda comunidade odonto-legal!




terça-feira, 16 de agosto de 2011

II Jornada de Odontologia Forense da FO-USP

A jornada acontece nos dias 19 e 20 de setembro de 2011, na Faculdade de Odontologia da USP.

A programação científica já está completa. Veja alguns temas:
- Ética na pesquisa em Odontologia Forense;
- Fraudes em documentos e registros em Odontologia;
- As tecnologias tridmensionais em Odontologia;
- Perícias inunsuais em Odontologia Legal;
- Reconstrução facial: o caso dos Inconfidentes;
- Utilização de fotografias de sorriso para a identificação humana;
- Epidemiologia em Odontologia legal;

Veja todas as palestras e palestrantes aqui.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Ladrão esquece dentadura durante roubo e acaba sendo identificado

Um ladrão esqueceu a dentadura durante um roubo e acabou sendo identificado em Severínia, 420km da capital paulista. Ele levou a bolsa de uma mulher e, durante a fuga, deixou cair a prótese dentária que serviu de prova contra ele.

A notícía se espalhou rapidamente pela cidade. A dentadura foi encontrada ao lado da bolsa roubada. O homem que a encontrou chegou a ser ameaçado de morte pelo assaltante. Ainda assim, ele entregou a dentadura à polícia.

Durante as investigações, um suspeito foi encontrado. "A dentadura foi exibida para ele, que a pegou e colocou na boca. Encaixou perfeitamente, não teve como falar que não era dele", disse o delegado César Aparecido Martins.

Como o suspeito não foi preso em flagrante, ele responderá pelo crime em liberdade, mas sem a dentadura, já que ela é a principal prova contra ele.

Veja a notícia completa e o vídeo.  

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Percepção do magistrado brasileiro quanto às provas digitalizadas

Resumo
Objetivo: Conhecer a percepção do Magistrado Brasileiro quanto aos meios de provas digitalizadas. Métodos: Foram encaminhados 137 e-mails para magistrados das cinco regiões do País, com a questão: “Muito se tem comentado, com prós e contras, a utilização de radiografias digitalizadas (armazenadas em programas de computador) em detrimento da radiografia convencional (chapas, raios-X). Qual é a percepção do Magistrado quanto aos meios de prova digitalizados?”. Buscou-se coletar depoimentos por escrito dos sujeitos da pesquisa que permitissem o acesso aos dados da realidade de caráter subjetivo. Utilizou-se como estratégia metodológica em pesquisa qualitativa a construção do Discurso do Sujeito Coletivo. Resultados: Recebeu-se 105 respostas via mensagem eletrônica (e-mail) contemplando a maioria dos estados do país. Conclusão: Após a análise das respostas pôde-se concluir que os documentos digitalizados podem ser utilizados, não havendo vedação legal de seu aproveitamento, desde que, possa ser constatado, inclusive por perícia, se necessário, que são arquivos que representam com exatidão o fato, sem falsificações ou outras formas de macular a verdade. Artigo publicado em: RGO - Rev Gaúcha Odontol., Porto Alegre, v.59, n.2, p.179-183, abr./jun., 2011.
Autor: syarid@hotmail.com.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Mecanismos bioquímicos da reabsorção radicular por tratamento ortodôntico

Resumo

A reabsorção radicular como sequela do tratamento ortodôntico foi o foco desta revisão de literatura, que objetivou rever e elucidar seus mecanismos bioquímicos, fatores influentes inerentes ao tratamento ortodôntico e inerentes ao indivíduo. Observou-se que o processo de reabsorção é relacionado à hialinização do ligamento periodontal, iniciando-se concomitantemente ao processo de eliminação do tecido hialinizado e, aparentemente, regulado pelos mesmos moduladores inflamatórios, tais como prostaglandinas, interleucinas e fator de necrose tumoral-a, demonstrando íntima sua relação com este mecanismo. O processo de reabsorção poderia ainda ser inibido por substâncias associadas ao metabolismo de cálcio relacionadas à inibição de uma ou mais funções próprias de odontoclastos: hormônio tireoidiano (T4), bisfosfonatos, calcitonina, echistatina. Outras substâncias, tais como os fatores de crescimento semelhantes à insulina, ativador do receptor do fator nuclear kappa β, osteoprotegerina, fosfoforina dentinária e sialoproteína dentinária, detectadas localmente durante movimentação ortodôntica, não teriam seu papel esclarecido no processo de reabsorção. Estas, juntamente à enzima fosfatase ácida resistente a tartrato (TRAP, observada em odontoblastos e odontoclastos ativos), poderiam ser ao menos indicadores de ocorrência de reabsorção. A reabsorção prolongada após o tratamento ortodôntico está relacionada a outras causas, que não o tratamento. Artigo publicado em: RGO - Rev Gaúcha Odontol., Porto Alegre, v.59, suplemento 0, p. 103-111, jan./jun., 2011.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Imageologia na odontologia e aspectos legais

Resumo

A tecnologia tem auxiliado muito no diagnóstico e prognóstico de doenças odontológicas. A utilização da informática, de um modo geral, na confecção da documentação clínica está cada vez mais presente nos consultórios odontológicos. No entanto, os aspectos jurídicos da validade desses sistemas são questionados e constituem matéria de discussão. Este trabalho aborda a imageologia ou diagnóstico por imagens, sendo uma nova área que vem surgindo na Odontologia. Outros exames desta tecnologia são radiografia digital, tomografia, tomografia computadorizada, artomografia, ressonância magnética, cefalometria computadorizada e a ultrassonografia. Os mesmos permitem ao profissional obter um melhor diagnóstico e ao paciente a visualização do seu problema e tratamento. Foi também realizado um levantamento sobre as possibilidades do uso da informática na Odontologia, em especial na Radiologia, bem como os aspectos legais, que estão de acordo com a Lei 8935/94 o que garante a sua prática. A Certificação Digital é um mecanismo que propicia validade jurídica a documentos como as imagens radiográficas entre outras. É um cuidado que o cirurgião-dentista deve tomar para assegurar-se de que tem resguardadas as provas judiciais que se fizerem necessárias em eventual demanda. Artigo publicado em: RGO - Rev Gaúcha Odontol., Porto Alegre, v.59, suplemento 0, p. 89-95, jan./jun., 2011.

Compartilhe