Mensagem dos Autores

Motivados pelo desenvolvimento da Odontologia Legal no Brasil, os autores tiveram a iniciativa de agregar mais uma ferramenta de convergência da classe pericial odontológica com o intuito de divulgar notícias, eventos, trabalhos científicos, além de contribuir para a discussão e troca de experiências entre os praticantes da perícia odontolegal. Contamos com todos para tornarmos este Blog um centro de encontro e de crescimento profissional.







quinta-feira, 2 de junho de 2011

Avaliação histológica da dentina e do cemento após diferentes tempos de inumação: estudo in vitro


Resumo

Introdução: frequentemente são encontrados corpos em que a única peça disponível para o processo de identificação humana é o dente, uma das estruturas do corpo humano mais resistentes a alterações ambientais e fatores externos. O presente trabalho objetivou realizar um estudo histológico do elemento dentário e as alterações que podem acontecer no complexo dentina-polpa depois de passados diferentes períodos de inumação, bem como a sua utilidade na prática forense em Odontologia Legal a fim de verificar a possibilidade de inferência quanto ao tempo decorrente e às modificações histológicas no elemento dentário. Material e métodos: em recipientes de barro, cobertos por solo comum e mantidos ao ar livre, submeteram-se 48 terceiros molares extraídos a variados temps de inumação (sete, 30, 60 e 180 dias). Após, os dentes foram retirados e analisados por descalcificação e realizaram-se cortes longitudinais de 6um de espessura, corados com HE. Depos da montagem dos cortes nas lâminas, efetuaram-se análises histológicas da dentina e do cemento. Resultados: a análise qualitativa em microscópio de luz possibilitou ver que as partes mineralizadas dos dentes apresentavam bom estado de conservação (cemento e dentina). No entanto, tecidos moles como polpa dentária e ligamento periodontal, estavam fragmentados e, na maioria das vezes, ausentes. Conclusão: a dentina e o cemento não tiveram alterações histológicas significativas, não permitindo nenhuma interferência quanto ao tempo decorrente da inumação. Artigo publicado em: RSBO 2011, 8(2): 131-7.

0 comentários:

Postar um comentário

Compartilhe