Mensagem dos Autores

Motivados pelo desenvolvimento da Odontologia Legal no Brasil, os autores tiveram a iniciativa de agregar mais uma ferramenta de convergência da classe pericial odontológica com o intuito de divulgar notícias, eventos, trabalhos científicos, além de contribuir para a discussão e troca de experiências entre os praticantes da perícia odontolegal. Contamos com todos para tornarmos este Blog um centro de encontro e de crescimento profissional.







quinta-feira, 31 de março de 2011

A Survey of the Delegation of Orthodontic Tasks and the Training of Chairside Support Staff in 22 European Countries


Abstract
This paper reports on a survey which was undertaken to investigate the delegation of orthodontic tasks and the training of chairside support staff in Europe. Two questionnaires were posted to all members of the EURO-QUAL BIOMED II project together with an explanatory letter. The first dealt with the delegation of nine clinical tasks during orthodontic treatment. The second with the types of chairside assistant employed in each country and the training that they are given. Completed questionnaires, which were subsequently validated, were returned by orthodontists from 22 countries. They indicated that there was no delegation of clinical tasks in six of the 22 countries and delegation of all nine tasks in five countries. The most commonly delegated tasks were taking radiographs (in 14 of the 22 countries) and taking impressions (in 13 of the 22 countries). The least commonly delegated tasks were cementing bands (in five of the 22 countries) and trying on bands (in six of the 22 countries). Seven of the 22 countries provided chairside assistants with training in some clinical orthodontic tasks. Eighteen of the 22 countries provided general training for chairside assistants and offered a qualification for chairside assistants. Four of these 18 countries reported that they only employed qualified chairside assistants. Of the four countries which reported that they did not provide a qualification for chairside assistants, two indicated that they employed chairside assistants with no formal training and two that they did not employ chairside assistants. It was concluded that there were wide variations within Europe as far as the training and employment of chairside assistants, with or without formal qualifications, and in the delegation of clinical orthodontic tasks to auxiliaries was concerned. Article published in: J Orthod. 2000 Sep;27(3):279-82.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Apresentação de trabalhos científicos no XXI Congresso Nacional de Criminalística - Gramado, RS, Brasil

Você já pode enviar seus trabalos científicos para o XXI CNC pelo site: http://www.xxicnc.com.br/

sexta-feira, 25 de março de 2011

Análise das Intercorrências e Complicações em Instalação de Implantes Dentais - Um Estudo Retrospectivo


RESUMO
Intrinsecamente, todo procedimento cirúrgico apresenta um certo índice de intercorrências e/ou complicações associadas. Hemorragias, infecções, parestesias ou disestesias e perda primária dos implantes são algumas das intercorrências e complicações mais comuns relacionadas a procedimentos cirúrgicos para implantodontia. Este estudo avaliou retrospectivamente o índice de intercorrências e complicações após cirurgia para a instalação de implantes dentais osteointegráveis. Foram avaliados, retrospectivamente, 660 prontuários clínicos de pacientes submetidos à instalação de implantes osteointegráveis no período 8 anos atendidos na Área de Cirurgia Buco-Maxilo-Facial da Faculdade de Odontologia de Piracicaba - Unicamp. Os resultados demonstraram que houve um maior índice de intercorrências e complicações quando os pacientes eram atendidos por alunos de especialização (p= 0,015) e quando o exame por imagem realizado era somente a radiografia panorâmica convencional (p= 0,011). Os resultados demonstraram também um maior índice de intercorrências e complicações nos pacientes quando estes eram submetidos a procedimentos cirúrgicos de reconstrução óssea alveolar (p< 0,0001). A presença de infecção pós-operatória influenciou significativamente para o aumento no índice de perda primária de implantes (p< 0,0001). Artigo publicado em: Rev. Cir. Traumatol. Buco-Maxilo-Fac., Camaragibe v.10, n.4, p.63-78, out./dez.. 2010.

terça-feira, 22 de março de 2011

Sociedad Venezolana de Odontología Forense

domingo, 20 de março de 2011

Acidentes e Complicações Associadas à Cirurgia dos Terceiros Molares Realizados por Alunos de Odontologia


Resumo
O objetivo deste artigo é demonstrar as taxas de acidentes e complicações nas cirurgias de terceiros molares realizadas por alunos do último ano do curso de graduação em odontologia. Metodologia: a análise retrospectiva do prontuário de 122 pacientes submetidos à extração dos terceiros molares foi realizada. A idade dos pacientes, o gênero, a posição do dente no arco e os acidentes e complicações decorrentes das cirurgias foram considerados. Prontuários com dados incompletos foram excluídos do estudo. Do total, 88 pacientes foram incluídos, totalizando 210 extrações. Resultados: A maioria dos pacientes era do gênero feminino (70,47%), com idade média de 24 anos. Os molares inferiores corresponderam a mais da metade dos procedimentos cirúrgicos (56,2%), senda a posição vertical (60,37%) a mais encontrada. Os casos de acidentes e/ou complicações totalizaram 10,47% dos procedimentos, sendo a hemorragia (2,38%), as fraturas radiculares (1,90%) e as fraturas da tuberosidade maxilar (1,90%) as mais encontradas. Outros acidentes/complicações encontrados foram deiscência de sutura (1,45%), comunicação buco-sinusal (0,95%), parestesia (0,95%), alveolite (0,47%) e infecção (0,47%). Conclusões: a inexperiência do cirurgião não pôde ser considerada como um fator determinante para o aumento das taxas de acidentes e complicações em exodontias dos terceiros molares, tendo em vista a semelhança dos resultados deste trabalho com estudos desenvolvidos por cirurgiões experientes. É importante salientar a necessidade do conhecimento por parte dos alunos dos tratamentos mais adequados para os diferentes acidentes e complicações encontradas. Artigo publicado em: Rev. Cir. Traumatol. Buco-Maxilo-Fac., Camaragibe v.10, n.4, p. 45-54, out./dez.. 2010.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Curso: Reconstrução Facial Forense

Curso: Reconstrução Facial Forense

Local: ABO-GO, Goiânia - GO.

Coordenadora: Profa. Dra. Silvia Virginia Tedeschi-Oliveira - CRO-SP 21.963
- Especialista em Odontologia Legal pela FUNDECTO-USP
- Mestre e Doutora em Ciências Odontológicas pela FO-USP

Objetivo: Demonstrar o método de Reconstrução Facial manual através de esculturas modeladas em material plástico ou argila, realizadas sobre o esqueleto de um crânio, ou uma réplica do mesmo, com finalidade forense.

Programa Conteúdo Programático:

1- Identificação: aspectos gerais da identificação do crânio.

2- Pontos craniométricos preconizados por Rhine e Campbell (1980).

3- Histórico da aplicação das técnicas de Reconstrução Facial.

4- Reconstrução Facial – diferentes métodos.

5- Descrição da Técnica: Espessuras dos tecidos moles na população brasileira e parâmetros a serem observados na reconstrução em população miscigenada.

6- Atividade prática: Moldagem para confecção de réplica do crânio e Reconstrução manual dos tecidos moles sobre o crânio através de técnica mista.

Data 16/04/2011 - sábado, manhã e tarde

Carga Horária: 8 horas

Investimento R$ 250,00 (associados Rede ABO e ABOL)

Informações aqui.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Palestra: Prevenção de processos éticos por publicidade

Ministradora:
Fabiane Gioia Arrastes - CRO-GO 7641
Graduada em Odontologia pela UNIUBE
Coordenadora Técnica de Fiscalização do CRO-GO

Data 22/03/2011 - terça-feira das 19:00 às 21:00 horas
Local: ABO-GO, Goiânia - GO.

*Entrada franca

Informações aqui.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Medidas lineares dos estágios de desenvolvimento da dentição permanente humana usando Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico: um estudo preliminar


Resumo
Objetivo: determinar as medidas lineares dos estágios de desenvolvimento da dentição permanente humana, usando tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC). Métodos: este estudo foi desenvolvido a partir de bancos de dados de clínicas radiológicas privadas, envolvendo 18 pacientes (13 do sexo masculino, 5 do sexo feminino, com idades variando entre 3 e 20 anos). As imagens das TCFC foram obtidas por meio do sistema i-CAT e medidas com uma função específica do programa desse mesmo sistema. Duzentos e trinta e oito dentes foram analisados, em diferentes estágios de desenvolvimento, nos planos coronal e sagital. O método foi baseado na delimitação e mensuração das distâncias entre pontos anatômicos correspondentes ao desenvolvimento das coroas e raízes dentárias. A partir dos valores obtidos, pôde-se desenvolver um modelo quantitativo para se avaliar os estágios inicial e final de desenvolvimento para todos os grupos dentários. Resultados e Conclusões: as medidas obtidas dos diferentes grupos dentários estão de acordo com as estimativas das investigações publicadas previamente. As imagens por TCFC dos diferentes estágios de desenvolvimento podem contribuir no diagnóstico, planejamento e resultado dos tratamentos em diversas especialidades odontológicas. As dimensões das coroas e das raízes dentárias podem ter importantes aplicações clínicas e em pesquisas, constituindo uma técnica não invasiva que contribui com estudos in vivo. Entretanto, mais estudos são recomendados a fim de minimizar possíveis variáveis metodológicas. Artigo publicado em: Dental Press J Orthod 2010 Sept-Oct;15(5):44-78.

sábado, 12 de março de 2011

XXI Congresso Nacional de Criminalística

quinta-feira, 10 de março de 2011

Justiça congela bens de sócios da Imbra

O Ministério Público teve liminar aceita na Justiça que congela os bens de Jorge Luiz Gualberti Martins Rocha, Fábio Sandri, Raul vieira de Carvalho Neto, Geraldo de Souza Ribeiro e Marco Antônio Campos Nishigaki, sócios do Imbra S/A, empresa de implantes odontológicos. Os ativos das empresas Santana Societária S/A e Imbrapar Participações Societária S/A também foram arrestados, segundo nota publicada nesta terça-feira. A medida tem como intenção garantir possível indenização por danos materiais e por danos morais coletivos aos consumidores lesados pela Imbra.

"Os elementos constantes dos autos revelam, em princípio, vários casos de violação contratual perpetrados pelos réus, representados por grande quantidade de reclamações feitas por consumidores, bem assim por impressionante quantidade de ações individuais, muitas delas com condenação e acordos não cumpridos", disse o juiz Samuel Francisco Mourão Neto, da 25ª Vara Cível do Foro Central de São Paulo.

A falência da Imbra foi pedida no ano de 2010. A empresa de implantes odontológicos reconheceu que não conseguiria pagar dívidas de R$ 221,761 milhões. O Imbra já enfrentava problemas com consumidores desde 2008, quando o Procon-SP emitiu uma nota esclarecendo o que o cliente poderia fazer caso não fosse atendido pela companhia.

O pedido de falência do Imbra ainda corre na justiça.

O promotor de Justiça do Consumidor, Roberto Senise Lisboa, alegou que a Imbra violou direitos de inúmeros consumidores, prestando serviços defeituosos e deixando de prestar os serviços contratados.

O juiz Samuel Francisco Mourão Neto, da 25ª Vara Cível do Foro Central de São Paulo, reconheceu que o processo revela, em princípio, vários casos de violação contratual por parte da empresa e grande quantidade de reclamações feitas pelos consumidores. Além disso, o magistrado constatou a existência de diversas ações individuais, muitas com condenação ou acordos não cumpridos.

Autofalência

Em novembro de 2010, a Justiça paulista negou e extinguiu pedido de autofalência proposto pela Imbra, por erro processual. A Imbra S.A. entrou com o pedido de autofalência no dia 6 de outubro de 2010, alegando que estaria impossibilitada de prosseguir com suas atividades por conta de uma dívida no valor de R$ 221.761.356,28. Segundo informações do jornal Folha de S.Paulo, o Procon-SP informou que "enquanto a falência não for decretada pelo Poder Judiciário, os contratos celebrados deverão ser cumpridos integralmente".

Ao decidir bloquear os bens da empresa, o juiz considerou que, embora não decratado, o pedido de autofalência é um óbvio sinal de insolvência e, portanto, da impotência patrimonial da empresa para satisfazer as obrigações que assumiu. “Inclusive, e principalmente, em razão do não cumprimento de centenas e centenas de contratos, em detrimento de número significativo de consumidores, cujo grau de dispersão e relevância social conferem legitimidade ao Ministério Público para vir a juízo na tutela dos direitos individuais homogêneos”, completou o juiz.

Na decisão, o juiz determinou a expedição de ofício ao Banco Central do Brasil para que sejam imediatamente bloqueados os ativos financeiros das empresas e de seus sócios, além da indisponibilidade ou arresto dos bens imóveis e dos veículos de propriedade das empresas e de seus sócios.
 
Notícia encaminhada por Annelise Castro.

terça-feira, 8 de março de 2011

Odontologia legal contribui para a identificação do casal sequestrado em Piracicaba - SP


Prof. Dr. Eduardo Daruge Júnior.

O Centro de Antropologia da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP) da Unicamp, coordenado pelo professor Eduardo Daruge Junior, emitiu na manhã dessa terça-feira (1), o laudo de identificação do empresário Cláudio Antonio Meneghetti e sua esposa Lilian Maria Simioni Meneghetti. O casal estava seqüestrado desde o último dia 15. Os corpos foram achados em um canavial no bairro Limoeiro, em Piracicaba.

O Centro de Antropologia trabalhou juntamente com os médicos legistas do Instituto Médico Legal de Piracicaba na identificação do casal, já que o reconhecimento pelo métodos de impressão digital estava prejudicado em decorrência do estado avançado de decomposição dos corpos. De acordo com Daruge, os peritos médicos e odontolegistas se basearam para a identificação das vítimas nas vestimentas que coincidiam com as que eles estavam utilizando no dia do sequestro, em uma prótese de mama em apenas um dos seios, no confronto dos eventos odontológicos encontrados nos cadáveres e nos prontuários odontológicos fornecidos aos peritos. Com isso, foi possível obter absoluta coincidência em todos os eventos, inclusive na comparação de fotografia de sorriso deles, conta o professor.

O caso teve grande repercussão na imprensa nacional. O casal foi levado de casa no bairro da Vila Rezende em Piracicaba na manhã do dia 15 deste mês. No momento do seqüestro, a empregada da família, Suzana Aparecida Perante Felippe, 57, foi brutalmente assassinada. Pós a morte de Suzana, os criminosos deixaram a residência dos Meneghetti levando um televisor LED de 52 polegadas, um computador que registrava as imagens das câmaras de segurança da residência e uma picape S10 cabine dupla.

Fonte: FOP-UNICAMP.

domingo, 6 de março de 2011

Poucos médicos preenchem adequadamente o prontuário

"Na atribulada vida dos médicos, uma prática como a rotina de preencher prontuário está em desuso ou, quando utilizada, muitas vezes vem sendo mal-executada. Um estudo desenvolvido na Fiocruz Pernambuco revela que o preenchimento adequado do prontuário ou a ausência deste preenchimento pode abalar a relação de confiança entre profissionais e pacientes, desencadeando perda de credibilidade, complicações nos diagnósticos e comprometer o tratamento. O estudo foi desenvolvido pelo médico Adriano Cavalcante Sampaio.

De acordo com Sampaio, o prontuário é o começo de tudo, desde o primeiro contato com o médico/paciente, como também para cada novo caso em que o registro do paciente precisa ser requisitado. A leitura de um prontuário mal feito pode ser um labirinto que atrasa o caminho da cura do paciente.

- Temos que ter respeito pela história do usuário e, nada fica para a história se não estiver escrito. É um direito do cidadão e que consta no código de ética médica -, afirma o pesquisador.

Durante seis anos ele, com o auxilio de dez alunos residentes em medicina, percorreu cinco hospitais do Recife, aplicando questionário e estudando 730 prontuários. Foram avaliados dois hospitais particulares, dois públicos e um filantrópico, que tiveram os seus nomes preservados. Todos tiveram resultados percentuais elevados de ruins e péssimos, como caso de prontuários arquivados em branco.

As diretorias dos hospitais foram unânimes em admitir esta fragilidade. Com o resultado da análise individual destas instituições, o hospital filantrópico teve 59,5% do preenchimento do prontuário qualificado como péssimo, os dois hospitais públicos tiveram 60% e os dois hospitais privados 68,5%. Em geral, se esperava um melhor desempenho do hospital privado, uma vez que ele foi o único hospital presente na pesquisa que é totalmente informatizado.

No entanto, ele apresentou mais de 50% de prontuários considerados ruins e péssimos. Neste caso não houve registro de ilegibilidade, fator que mais prejudicou a análise dos prontuários dos outros hospitais.

- O profissional que não preenche o prontuário não dá importância à história, acha que é apenas burocracia -, completa Sampaio.

O estudo Prontuário médico, reflexo das relações médico-paciente mostrou que a maior fragilidade ocorre no serviço público de saúde, cujos pacientes são famílias de baixa renda, excluída social, cultural e politicamente. Sendo este usuário mais vulnerável, aumenta a autonomia médica no preenchimento do prontuário, o que pode conduzir a equívocos.

- A exclusão do paciente no processo de investigação da sua doença também pode ser pensada como uma ética frágil. O paciente já se sente subjugado pela enfermidade, deposita toda sua esperança no médico, se colocando em um patamar inferior. O médico por sua vez se reveste de autoridade, que pode gerar sérios problemas para o curso do tratamento empregado -, analisa Sampaio.

Para ele, este trabalho não tem características de denúncia direta, mas pretende que o sistema tenha uma autocrítica e formule diretrizes melhores, que beneficiem o tratamento do paciente e a própria comunidade médica através de uma análise profissional aprofundada dos seus prontuários, se conscientizando de uma vez por toda da importância do prontuário no processo de cura.

Comunicar-se por meio da escrita pode ser desafiador e complexo quando se trata do mau preenchimento do prontuário e receitas médicas. A letra médica, quando ilegível, já foi alvo de muitas críticas. Para Sampaio, o receituário faz parte da conduta médica e, o que é prescrito, também deve entrar no prontuário por fazer parte do tratamento.

- Neste sentido diria que são gêmeas (prontuário e receita). O paciente com uma receita ilegível na mão aumenta o seu risco e comprometimento à saúde.

Ele alerta que chegando a uma farmácia, o balconista para não perder cliente deduzirá o que está escrito ou então empurrar o medicamento da moda, desencadeando alto risco. Haverá então um prontuário mal feito e uma medicação administrada erroneamente.

Outro colega médico também pode incorrer no erro, interpretando equivocadamente o que está escrito. Tendo assim o risco de um prontuário mal feito e uma medicação administrada erroneamente.

Diante de um quadro que requer atenção, o pesquisador aponta passos em direção a melhora do prontuário, consequentemente gerando um melhor atendimento e busca do bem-estar do paciente.

Como ponto de partida, ele enxerga que a base é uma melhor formação acadêmica e modelos profissionais a serem seguidos: - Hoje temos a busca acelerada para se formar médico. Esquecendo que esta opção - de ser um profissional de saúde - implica diretamente na responsabilidade de cuidar de vidas e, para tanto usar de todos os instrumentos necessários, desde o mais simples ao mais complexo, sem nunca se distanciar do aspecto humano.

Ele ressalta que com tantos aparatos técnicos e sofisticações no atendimento, uma coisa simples, que é a boa caligrafia, é determinante no desenvolvimento correto das ações em prol da saúde do paciente."
 
Notícia encaminhada por Annelise Castro.

sexta-feira, 4 de março de 2011

VII Encuentro Anual - SADOL (SOCIEDAD ARGENTINA DE ODONTOLOGÍA LEGAL)


terça-feira, 1 de março de 2011

I Congresso Internacional de Odontologia Forense - Lima/Peru

Compartilhe