Mensagem dos Autores

Motivados pelo desenvolvimento da Odontologia Legal no Brasil, os autores tiveram a iniciativa de agregar mais uma ferramenta de convergência da classe pericial odontológica com o intuito de divulgar notícias, eventos, trabalhos científicos, além de contribuir para a discussão e troca de experiências entre os praticantes da perícia odontolegal. Contamos com todos para tornarmos este Blog um centro de encontro e de crescimento profissional.







quinta-feira, 29 de abril de 2010

Considerações históricas e legais sobre a Odontologia Veterinária no Brasil

Resumo
Este artigo é dirigido a médicos veterinários, cirurgiões-dentistas e estudantes de medicina veterinária e odontologia. Seu objetivo é abordar os aspectos históricos, profissionais e legais da odontologia veterinária, especialidade que é prerrogativa do médico veterinário (Publicado em: Arq ciên vet zoll. UNIPAR, Umuarama, v. 4, n. 1, p: 49-54, jan/jul. 2001).
"... É evidente que todos os médicos veterinários entendem os dentes e a cavidade oral do Homo sapiens como prerrogativa absoluta dos cirurgiões-dentistas. Ao mesmo tempo, têm dezenas ou centenas de espécies de mamíferos às quais se dedicar, conforme a Lei 5.517/68. Afinal, das mais de 4.400 espécies de mamíferos, muitas são mantidas em domesticidade, ou cativas em zoológicos e criadouros de animais selvagens, e todas necessitam de atenção médica.
O respeito às prerrogativas legais e, acima disso, à competência e à qualificação, deve ser meta de todos os profissionais. O respaldo legal ressalta a obviedade de que procedimentos médicos de cunho odontológico em aniamsi só são possíveis com os conhecimentos de anatomia, fisiologia, neurologia, clínicas médica e cirúrgica, obtidos no treinamento de graduação do médico veterinário".
Para saber mais sobre odontologia veterinária, acesse o site da Associação Brasileira de Odontologia Veterinária - ABOV.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Gerenciamento de riscos na prática ortodôntica - como se proteger de eventuais problemas legais


Resumo
Introdução: A relação profissional-paciente na área de Ortodontia e Ortopedia facial é bastante desgastante face à longa duração dos tratamentos e, por causa disso, muitas vezes essa relação pode se deteriorar trazendo prejuízos a ambas as partes. Objetivo: Este trabalho visa informar o leitor, em linguagem acessível, sobre os principais problemas jurídicos que podem envolver o ortodontista em sua prática profissional, nas esferas cíveis, criminais e trabalhistas, bem como dos Conselhos Regionais de Odontologia. Metodologia: Traça um perfil da atividade profissional em Ortodontia, analisa deveres e direitos do profissional e do paciente e estabelece alguns conceitos de gerenciamento de riscos a serem incorporados à clínica diária. Resultado e Conclusão: Além de trabalhar bem tecnicamente e com bom embasamento científico, o ortodontista atual deve saber como se prevenir de eventuais problemas legais. Este trabalho poderá servir como ferramenta de consulta para o estabelecimento de uma nova rotina clínica, administrativa e de relacionamento que seja mais segura do ponto de vista jurídico (Publicado em: Revista Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 13, n. 1, p. 141-156, jan./fev. 2008).
Baixar texto completo
Autor: ricardomcruz@uol.com.br

domingo, 25 de abril de 2010

Etiologia e prevenção das reabsorções cervicais externas associadas ao clareamento dentário


Resumo.
Introdução e objetivo: A estética na Odontologia tem sido priorizada, e o desejo por dentes mais claros tem estado cada vez mais presente nos consultórios, pois dentes mais brancos tendem a demonstrar saúde, beleza, jovialidade e tornam o sorriso mais atraente. O clareamento dental é um meio conservador amplamente utilizado para restabelecer a cor natural de dentes escurecidos, no entanto uma provável relação com a reabsorção externa cervical tem preocupado muitos pesquisadores e clínicos. Revisão de literatura: Vários são os mecanismos que podem desencadear essa reabsorção, entre eles a ação química e física dos agentes clareadores empregados, a morfologia da junção amelocementária associada ao sistema imunológico, a concentração dos materiais empregados, os traumas, bem como a técnica de clareamento utilizada. Conclusão: Diante de diferentes fatores, ainda não conclusivos, prevenindo efeitos deletérios para dentes e estruturas de suporte, cuidados devem ser tomados na escolha do agente clareador, da técnica de aplicação e também dos casos, além da confecção de uma restauração adequada após o clareamento dental. Artigo publicado em: Revista Sul Brasileira de Odontologia. 2010 Mar;7(1):78-89.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Bioética y ejercicio profesional de la Odontología


Resumo
A odontologia enfrenta dilemas éticos importantes, entre outros apontamos os seguintes: as relações odontólogopaciente, o acesso à saude dental, a consciencia da necessidade da população, entre outros, atraem a discussão e devem ser analisados à luz das éticas relevantes da prática profissional. Este artigo propõe que a bioética, como uma alternativa aberta, embasada no diálogo e compreensão de evidencias, proporcione ferramentas, tanto aos dentistas como aos médicos, para solucionar dilemas éticas e apoiar as discussões interdisciplinares e interprofissionais a respeito da melhor maneira de agir.

Conclusión
Este artículo entregó una visión global del debate ético que se manifiesta en el ejercicio profesional de la odontología, tanto en Chile como en países desarrollados. La ética profesional es lo que mantiene unida a la profesión odontológica. Debemos entonces reevaluar la de nuestro “gremio” y desarrollar un samiento
apropiado para la sociedad actual. La prevención y el cuidado de la salud bucal valen tanto para aquellos que tienen medios como para aquellos que no los tienen, y son responsabilidades importantes de la odontología comunitaria.
Los dentistas en general, y los cirujanos maxilofaciales en particular, se han sensibilizado respecto del consentimiento informado, principalmente debido al incremento en el número de pacientes que han iniciado acciones legales y a la existencia de jueces que han dictado sentencia basándose en la ausencia de tal consentimiento. Sin embargo, su verdadero valor no ha sido aún analizado ni enfatizado por los dirigentes del conjunto de profesionales de nuestro país. Mientras el público tiene una preocupación creciente por los derechos de los pacientes, el incremento en los costos de seguro por mala praxis genera la misma preocupación entre médicos y dentistas.
Publicado em: Acta Bioethica 2006; 12 (1): 65-74.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Biossegurança: grau de importância na visão dos alunos do curso de graduação de Odontologia da Univille


Resumo
Introdução e objetivo: O presente estudo avaliou o grau de importância da biossegurança na visão dos alunos do curso de graduação de Odontologia da Universidade da Região de Joinville (Univille). Material e métodos: A amostra deste trabalho foi constituída por 142 alunos do 1.º ao 5.º ano do curso de graduação em Odontologia, no qual foi solicitada aos estudantes a assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido, para responder um questionário com 13 perguntas fechadas e duas perguntas abertas sobre práticas clínicas odontológicas e conceitos de biossegurança. Resultados: Dos 142 alunos pesquisados, 71,83% eram do sexo feminino e 28,17% do masculino. O fato mostra o aumento de estudantes mulheres na área da saúde. A grande maioria dos estudantes demonstrou ter conhecimentos básicos sobre as normas de biossegurança (82,39%) e a utilização de equipamentos de proteção individual (EPIs) (75,35%). Conclusão: De acordo com os limites do presente estudo, pôde-se constatar que os alunos do curso de graduação em Odontologia da Univille demonstraram ter conhecimentos da importância das normas de biossegurança em suas atividades clínicas odontológicas diárias. Artigo publicado em: Revista Sul Brasiliera de Odontologia. 2010 Mar;7(1):20-6.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

VI Encuentro Sociedad Argentina de Odontología Legal

21 e 22 de maio de 2010. Buenos Aires - AR.
Programação científica completa: http://amfra.org.ar/cong16.asp.



sábado, 17 de abril de 2010

The forensic importance of frontal sinus radiographs

Importância pericial das radiografias de seio frontal.

Abstract
The identification of unidentified human remains through the comparison of antemortem and postmortem radiographs has found wide acceptance in recent years. Reported here is the forensic case of an unidentified adult male who had died as the result of a traffic accident, after which the body was identified by matching images of ante- and postmortem radiographs of the frontal sinus. A general discussion on identification using frontal sinus radiographs is presented, highlighting the reliability of this method, in reference to the uniqueness of the frontal sinus in humans. However, it also notes a few difficulties, especially in reference to the X-ray technique in cases where antemortem radiographs are available and a potentially larger number of anatomical, pathological or traumatic features are present. The comparison of frontal sinus outlines is recommended when it may become necessary to provide quantitative substantiation for forensic identification based on these structures. Published in: Journal of Forensic and Legal Medicine. 16 (2009) 18–23.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Concurso odontolegista RO - resultado final!

Parabéns aos novos odontolegistas do Estado de Rondônia!

Veja aqui a lista completa.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Atuação da Polícia Científica de Goiás no local do crime e na análise dos corpos dos jovens de Luziânia



A Polícia Científica de Goiás mais uma vez mostrou o seu valor no cenário nacional.
Os Peritos Criminais e os Peritos Médicos-Legistas do 14° Núcleo Regional de Polícia Científica foram os responsáveis pela Perícia de Local e pelas necropsias dos corpos no caso dos adolescentes desaparecidos de Luziânia.
A equipe pericial que trabalhou no local, chefiada pela Perita Criminal Drª Sonia Cristina Arantes de Brito, era composta por mais um Perito Criminal, Dr. Flavio Guimarães Coelho, os Auxiliares de Necropsia Francivalter, Luciano e Lilian, os Motoristas Andrade, Júlio e Djalma.
No local, a Perícia foi acompanhada por Peritos Médicos da PF, agentes da PF e da PCGO e auxiliados pela excelente equipe do Corpo de Bombeiro Militar de Luziânia, chefiados pelo Sargento Monteiro.
Após a remoção dos corpos e a condução dos mesmos para o IML de Luziânia, as necropsias foram realizadas pelos Médicos-Legistas Dra Valéria Valdez Gomes e Dr. Glayson Carlos de Miranda Verner.
Para auxiliar nos trabalhos, contaram também com a presença do Dr. Rhonan Ferreira da Silva, Perito Criminal/Odontolegista do IML de Goiânia, que procedeu às análises antropológica e odontolegal nos corpos.
Os Peritos Criminais da Polícia Federal Pavan, Márcio, Eduardo e Renato acompanharam os trabalhos realizados no IML de LUZIÂNIA.

terça-feira, 13 de abril de 2010

ANS atualiza rol de procedimentos odontológicos

Resolução Normativa (RN) nº 211, de 11 de Janeiro de 2010.
Atualiza o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, que constitui a referência básica para cobertura assistencial mínima nos planos privados de assistência à saúde, contratados a partir de 1º de janeiro de 1999, fixa as diretrizes de atenção à saúde e dá outras providências.

Art. 1º Esta Resolução atualiza o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, que constitui a referência básica para cobertura mínima obrigatória da atenção à saúde nos planos privados de assistência a saúde, contratados a partir de 1º de janeiro de 1999, e naqueles adaptados conforme a Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, na forma do Anexo desta Resolução Normativa.

Parágrafo único. Atualiza-se também o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde de Alta Complexidade – PAC, definido, para fins de cobertura, como procedimentos extraídos do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, identificado no Anexo, que pode ser objeto de cobertura parcial temporária - CPT nos casos de doenças e lesões preexistentes - DLP, conforme o disposto em Resolução específica.

Art. 2º O Anexo desta Resolução lista os procedimentos e eventos de cobertura mínima obrigatória, respeitando-se a segmentação contratada.
...
Subseção V - Do Plano Odontológico

Art. 20. O Plano Odontológico compreende a cobertura de todos os procedimentos listados no Anexo desta Resolução Normativa para a segmentação odontológica.

§ 1º Os procedimentos buco-maxilo-faciais que necessitarem de internação hospitalar não estão cobertos pelos planos odontológicos, porém têm cobertura obrigatória no plano de segmentação hospitalar e plano-referência.

§ 2° Nas situações em que, por imperativo clínico, o atendimento odontológico necessite de suporte hospitalar para a sua realização, apenas os materiais odontológicos e honorários referentes aos procedimentos listados no Anexo para a segmentação odontológica deverão ser cobertos pelos planos odontológicos.
 
CAPÍTULO III - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

Art. 21. O Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde deverá ser revisto periodicamente a cada 2 (dois) anos, podendo ser atualizado a qualquer tempo, segundo critérios da ANS.

Art. 22. As Diretrizes de Utilização (DUT) e as Diretrizes Clínicas (DC) que definirão critérios para a obrigatoriedade de cobertura de alguns procedimentos listados no Anexo desta Resolução Normativa serão previstas em Instrução Normativa da Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos - DIPRO a ser publicada para este fim.

Art. 23. Esta Resolução Normativa, bem como seu Anexo estarão disponíveis para consulta e cópia no endereço eletrônico da ANS na Internet (http://www.ans.gov.br/).

Art. 24. Ficam revogadas a RN nº 192, de 27 de maio de 2009, RN nº 167, de 9 de janeiro de 2008, RN nº 154, de 5 de junho de 2007, as Resoluções do Conselho de Saúde Suplementar – CONSU nº 11, de 4 de novembro de 1998, CONSU nº12, de 4 de novembro de 1998.

Art. 25. Esta resolução entra em vigor no dia 7 de junho de 2010.

ALFREDO LUIZ DE ALMEIDA CARDOSO
Diretor – Presidente Substituto

domingo, 11 de abril de 2010

Freshwater and salt-water influence in human identification by analysis of DNA: an epidemiologic and laboratory study*

*Influência da água doce e da água salgada na identificação humana pela análise do DNA: um estudo epidemiológico e laboratorial.
Abstract
Aim: To investigate the casuistry of drowning cases by reviewing the records from the Forensic Medicine Institute Nina Rodrigues in the city of Salvador, BA, Brazil, and to verify the potential of DNA recovery in human teeth immersed in water. Methods: An epidemiological survey was conducted followed by a laboratorial phase, in which 40 teeth were immersed in fresh and salt-water, the DNA was extracted by the organic method and amplified by polymerase chain reaction, using the amelogenin as initiator. The electrophoresis initially occurred in agarose gel and later in polyacrylamide gel. Results: In the present survey, 346 deaths from drowning were observed, most of them in salt-water (51.73%), with a predominance of male victims (86.13%) aged from 18 to 35 years-old (37.94%). Dentists identified 14.74% of the victims. DNA was recovered in 37.5% from the samples, most from teeth immersed in freshwater. Polyacrylamide gel analysis in samples that were amplified in agarose gel allowed correct gender identification in 83.3% of the cases. However, allele loss was observed in samples of two victims, jeopardizing gender determination. Conclusions: Dental exposure to water interfered in DNA recovery. The gender investigation using the amelogenin as initiator was effective. Published in Brazilian Journal of Oral Sciences April/June 2009 - Volume 8, Number 2.
Download full text (baixar texto completo)
Author: musse_jo@hotmail.com

sexta-feira, 9 de abril de 2010

CFO e CFM analisam resolução sobre atuação comum a cirurgiões-dentistas e médicos.


Uma reunião da Comissão Conjunta do Conselho Federal de Odontologia (CFO) e do Conselho Federal de Medicina (CFM) analisou, no dia 11 de março de 2010, na sede do CFM, proposta de modificação de resolução que visa abordar as competências e responsabilidades profissionais de médicos e cirurgiões-dentistas, principalmente de cirurgias a serem realizadas conjuntamente.
A proposta será levada para aprovação das plenárias das entidades. O novo texto atualizará as Resoluções CFO 003/1999 e CFM 1.536/1998, que estabelecem critério para realização das atividades.
Para o vice-presidente do Conselho Federal de Odontologia (CFO), Emanuel Dias de Oliveira e Silva, a proposta encaminha de maneira inteligente a questão tanto para a Odontologia como para a Medicina. “A crise que enfrentávamos desde 1999 se devia ao fato de que a resolução dizia que em cirurgias comuns à Medicina e Odontologia a equipe deveria ser chefiada sempre por um médico. Depois de um ano de conversações, conseguimos redigir um texto melhor”, explicou ele, que integra a Comissão Conjunta e participou do encontro. Emanuel Dias, que também é membro titular e honorário do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco‐Maxilo‐Facial e do International Oral Surgery, voltou da reunião com a missão de redigir a resolução do CFO sobre o tema.
Por decisão unânime de seus membros, a Comissão Conjunta CFM-CFO continuará atuando, para garantir a solução de possíveis conflitos e a constante melhoria das atividades das especialidades afins.

Participantes
Além do vice-presidente do CFO, estiveram presentes na reunião, na qualidade de membros da Comissão, o professor titular de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial da Faculdade de Odontologia de Araraquara/Unesp, Mário Real Gabrielli (CFO) e o presidente da Sociedade Brasileira de CTBMF, João Gavranich Júnior (CFO). Pela medicina, participaram Nivaldo Alonso (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica), Luiz Eduardo Melo (Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço), Luiz Ubirajara Sennes (Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial ) e o coordenador do Conselho Federal de Medicina (CFM), Antônio Pinheiro.
Reportagem publicada pelo CFO. Acesse na íntegra.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Dia do Médico Legista - 07 de abril

PARABÉNS AOS MÉDICOS LEGISTAS!!!

1*

2*

*Fotos obtidas na internet: 1 e 2.

A Medicina Legal é o conjunto de conhecimentos médicos e paramédicos que servem ao Direito. Essa profissão é um ramo da Medicina que engloba um pouco de cada especialidade e demanda muito conhecimento médico, pois é necessário ter a perspicácia de olhar e saber explicar o que aconteceu com uma pessoa.
O médico legista é chamado a atuar toda vez em que um indivíduo sofre uma agressão física ou moral e procura uma reparação pelo dano na Justiça. Assim, a Medicina Legal ajuda muitas vezes os juízes a fazerem justiça, e é conhecida como o preâmbulo do Direito, pois participa tanto na elaboração como no auxílio à interpretação de processos e, colabora na execução das Leis ao seu campo de Medicina Legal.
A Medicina Legal já teve muitos sinônimos, na Roma antiga, onde seus juízes eram chamados de sábios de Roma, referiam-se a ela como medicina Forense Jurídica. Alguns considerados seus primeiros pesquisadores, como Prunelle, a chamava de Medicina dos Tribunais, já Trébuchet chamava-a de medicina da lei.
A profissão consta nos currículos das faculdades de Medicina e de Direito e normalmente atua no IML (Instituto Médico Legal) realizando necropsias, exames de DNA e de corpo delito. O legista é responsável ainda pela a liberação dos cadáveres e a expedição dos atestados de óbito, com seus respectivos diagnósticos de “causa mortis”.
Reportagem obtida no Portal São Francisco.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Dolo eventual na Medicina: Quando eles assumem o risco de matar

Matéria publicada pela Revista Visão Jurídica, Edição n. 46, ano 2010.

"Madrugada da quinta-feira, 8 de julho de 2009. Brasília, no coração do País, ainda dorme. Em Taguatinga, no cidade-satélite, há, contudo, agitação. A condenação pelo Tribunal do Júri da cidadesatélite do ex-médico Denísio Marcelo Caron a 30 anos de prisão (29 em regime fechado) pela morte de duas jovens - Grasiele Murta Oliveira e Adcélia Martins de Souza - que o procuraram em 2002 para procedimentos de lipoaspiração representa um marco na história da Justiça brasileira.
A tese sustentada pelo Ministério Público na acusação contra Caron foi de homicídio com dolo eventual - quando o réu assume, por seus atos ou omissão, o risco de matar. A classe médica nacional ignora essa possibilidade. Ela admite apenas a chamada "culpa consciente", caracterizada pela previsão do agente quanto à probabilidade do resultado que ele espera não venha ocorrer, confiando em suas habilidades para enfrentar uma possível situação de risco.
Conhecida entre alguns juristas como "culpa com previsão", ela, precisamente por isso, se aproxima do dolo eventual. A fronteira é tênue. Historicamente, as autoridades jurídicas do país se inclinavam por engessar casos de erro médico com vítimas fatais na moldura ampla, generosa, dos homicídios culposos. Mas esse entendimento, de caráter genérico, parece estar mudando.
Marcelo Caron foi denunciado por homicídio qualificado, omissão de socorro e exercício ilegal da medicina - já que trabalhava com diploma falso. Adcélia tinha 39 anos quando morreu no Hospital Anchieta, em Taguatinga, em janeiro de 2002, após se submeter a uma cirurgia de lipoaspiração comandada pelo médico. No mesmo mês, a universitária Graziela, de 26 anos, se submeteu a igual procedimento no Hospital Santa Marta. A estudante sucumbiu no mês seguinte, vítima de infecção generalizada. Caron - que já havia se comprometido com o Ministério Público de Goiás a suspender temporariamente suas intervenções cirúrgicas - foi acusado de retardar e, em determinado momento, até mesmo de se negar a prestar assistência à paciente.
Em 2006, valendo-se do habeas corpus nº 58.423- DF, a defesa do cirurgião tentou a manobra clássica: desclassificar a acusação para homicídio culposo. A ementa do acórdão guarda os ensinamentos do relator, desembargador Edson Smaniotto: "Se toda a matéria posta no recurso da defesa mostra-se controvertida, cabe ao Tribunal do Júri, segundo sua competência constitucional, decidi-las, não sendo lícito, na fase do judicium accusationis (juízo de admissibilidade da acusação), a absolvição sumária ou a desclassificação para homicídio culposo, sob pena de invadir-se a competência do Juízo Natural dos crimes dolosos contra a vida"...

sábado, 3 de abril de 2010

Evaluation of identification cases involving forensic dentistry in the city of Pelotas, RS, Brazil, 2004-2006

Avaliação dos casos de identificação humana envolvendo a odontologia forense na cidade de Pelotas - RS (Brasil), de 2004-2006.

Abstract
Aim: This study investigated the use of dental arch examination as a forensic technique for body identification at the Institute of Forensic Medicine (IML, acronym in Portuguese) of Pelotas (RS), a city located in the South of Brazil. Methods: The data collected for the study referred to the period between 2004 and 2006, when a forensic dentist was part of the IML staff. The post-mortem records with regard to the entry of unidentified bodies that had undergone dental identification by the forensic dentists were analyzed quantitatively. Results: Ten unidentified bodies entered the IML and all of them were submitted to dental arch examination for body identification. However, the conclusive identification was based on the analysis of DNA, because the victims’ dental records were not accurate, complete and updated. Only five assessed bodies had been referred from Pelotas police station, two from Pedro Osório police station, one from Capão do Leão police station, one from Arroio Grande police station and one had no information about its origin. Conclusions: The current configuration of Pelotas IML staff does not include a forensic dentist, and the presence of this professional is needed, for the city is reference for referral of forensic cases from the surrounding region. Published in Brazilian Journal of Oral Sciences January/March 2009 - Volume 8, Number 1.
Download full text (baixar texto completo)
Author: rafael.lund@gmail.com

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Atuação profissional do cirurgião-dentista diante da Lei Maria da Penha


Resumo
Introdução: No Brasil, a violência contra a mulher constitui um problema social que está sendo tratado em diversos programas de saúde pública, pois a prática atinge todas as classes sociais. Nesse sentido, e com base no princípio de que a mulher é considerada a parte vulnerável numa relação familiar, foi aprovada a Lei n.º 11.340/2006, conhecida como Lei Maria da Penha, que aumenta o rigor das punições contra aqueles que agridem as mulheres do seu círculo familiar. Entre os diversos tipos de agressão que a mulher pode sofrer, as de natureza física são as que podem ser mais facilmente identificadas pelos profissionais da área de saúde, inclusive pelo cirurgião-dentista. Objetivo e relato de caso: Este estudo visa relatar dois casos de violência contra a mulher em que houve envolvimento de lesões na área de cabeça e pescoço. No primeiro caso, a vítima foi agredida com um soco e perdeu dois dentes anteriores (lesão grave); no segundo, a vítima também foi agredida com socos que produziram equimoses orbitárias e periorais (lesão leve), tendo estas regredido após 30 dias. Conclusão: É grande a importância ético-legal do registro adequado dos procedimentos efetuados em vítimas de agressão, pois essa documentação odontológica pode ser solicitada para subsidiar tanto uma avaliação odontolegal como um processo judicial movido contra o agressor. Artigo pulicado em: Revista Sul Brasileira de Odontologia, 2010 Mar;7(1):110-6.

Compartilhe